Bioética, teologia e saúde mental: diretrizes de cuidado e prevenção do suicídio

Vera Lúcia Wünsch, Claudia Nasser, Carla Corradi-Perini, Waldir Souza

Resumen


O presente artigo visa uma reflexão sobre a dimensão do comportamento suicida, abordando os aspectos bioéticos e teológicos de preservação das dimensões da pessoa humana concatenados com as ações da rede de atenção em saúde mental em pacientes com risco suicida. Busca associá-los à prática humanizada e à integridade ética do ser humano para reconduzi-lo a condições de dignidade, autonomia e de inclusão e promoção da vida humana. É imperativa e necessária maior abrangência na disseminação de informações como meio de desmitificar e prevenir o suicídio e, promovendo o valor e a inviolabilidade da vida humana.


Palabras clave


Bioética; teologia; saúde mental; suicídio; prevenção.

Referencias


Agostini, N. (1998). Teologia Moral. Rio de Janeiro: Vozes.

Bertolote, J.M. (2012). O suicídio e sua prevenção. São Paulo: UNESP.

Boff, C. (2014). O livro do sentido. São Paulo: Paulus.

Brasil (2014). Ministério da Saúde. Estratégia Nacional de Prevenção do Suicídio. Disponível em http://www.cvv.org.br/downloads/manual_prevencao_suicidio_profissionais_saude.pdf. Acesso em 01 set 2015

D’Assumpção, E.A. (2005). Biotanatologia e Bioética. São Paulo: Paulinas.

Durand, G. (2007). Introdução geral à bioética: história, conceitos e instrumentos. São Paulo: São Camilo; Loyola.

Durkheim, E. (2002). O suicídio: texto integral. São Paulo: M. Claret.

Fromm, Erich. (1972). Análise do homem. Rio de Janeiro: Zahar.

Kubler-Ross, E. (2008). Sobre a morte e o morrer (10. ed.). São Paulo: Martins Fontes.

João Paulo II (1995). Carta Encíclica Evangelium Vitae. Cidade do Vaticano, 25 mar. 1995. Disponível em: http://w2.vatican.va/content/john-paul-ii/pt/encyclicals/documents/hf_jp-ii_enc_25031995_evangelium-vitae.pdf. Acesso em 10 de ago. 2015.

Junges, J.R. (1999). Bioética: perspectivas e desafios. São Leopoldo, RS: Unisinos.

Luzio, C.A.; Yasui, S. (2010). Além das portarias: desafios da política de saúde mental. Psicologia em Estudo, 15 (1), 17-26.

Organização Mundial da Saúde – OMS. (2014). Suicídio: pesquisadores comentam relatório da OMS, que apontou altos índices no mundo. Disponível em http://portal.fiocruz.br/pt-br/content/suicidio-brasil-e-8opais-das-americas-com-maior-indice. Acesso em 10 de ago. 2015.

Organização Mundial da Saúde – OMS. (2015). OMS: suicídio causa uma morte a cada 40 segundos no mundo. Disponível em http://www.unmultimedia.org/radio/portuguese/2015/09/oms-suicidio-causa-umamorte-a-cada-40-segundos-no-mundo/#.Vzh50I-cHIW. Acesso em 10 de ago. 2015.

Organização das Nações Unidas no Brasil – ONUBR. (2015). Fórum da ONU sobre questões indígenas pedeação para fim de suicídios entre jovens indígenas. Disponível em http://nacoesunidas.org/forum-daonu-sobre-questoes-indigenas-pede-acao-para-fim-de-suicidios-entre-jovens-indigenas/. Acesso em 30 ago. 2015.

Organização das Nações Unidas. Declaração Universal dos Direitos Humanos. ONU. 1948. Disponível em http://unesdoc.unesco.org/images/0013/001394/139423por.pdf. Acesso em 29 ago. 2015.

Paulo VI (1997). Constituição Pastoral Gaudium Et Spes. Roma, 7 dez. 1965. Disponível em: http://www.vatican.va/archive/hist_councils/ii_vatican_council/documents/vat-ii_const_19651207_gaudium-et-spes_po.html. Acesso em 17 de ago. 2015.

Pessini, L.; Bertachini, L.; Barchifontaine, C. (orgs) (2014). Bioética, cuidado e humanização: humanização dos cuidados de saúde e tributos de gratidão (v.III). São Paulo: Edições Loyola; Centro Universitário São Camilo.

Pessini, L. (2009). Bioética: um grito por dignidade de viver. São Paulo: Paulinas; Centro Universitário São Camilo.

Pessini, L.; Barchifontaine, C.P. (2006). Bioética e longevidade humana. São Paulo: Centro Universitário São Camilo, Edições Loyola.

Pessini, L.; Barchifontaine, C.P. (2000). Problemas atuais de Bioética. São Paulo: Centro Universitário São Camilo, Edições Loyola.

Petrini, J.C.; Ramos, D.L.P. (2009). Um diálogo Latino-Americano: Bioética e Documento de Aparecida. São Caetano do Sul, SP: Difusão.

Ramos, D.L.P. (2009). Bioética: Pessoa e Vida. São Caetano do Sul, SP: Difusão.

Renaud, M. (1999). A Dignidade do ser Humano como Fundamentação Ética dos Direitos do Homem. In: Brotéria – Revista de Cultura, v. 148, 1999, p. 135-154. Disponível em http://broteria.pt/images/books/pdf/Brotéria_Cristianismo%20e%20Cultura_1999_Fevereiro_Volume_2_148.pdf. Acesso em 30 ago 2015.

Roselló, F.T. (2009). Antropologia do cuidar. Rio de Janeiro: Vozes.

Sgreccia, E. (2009). Manual de Bioética: I – Fundamento e Ética Biomédica (3ª ed.). São Paulo: Loyola.

Sgreccia, Elio (1997)). Manual de Bioética: II – Aspectos Médico-Sociais. São Paulo: Loyola.

Waiselfisz, J.J. (2011). Mapa da violência 2011: os jovens no Brasil. São Paulo: Instituto Sangari; Brasília, DF: Ministério da Justiça.




DOI: https://doi.org/10.14422/rib.i02.y2016.010

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Licencia de Creative Commons
Revista Iberoamericana de Bioética (ISSN 2529-9573) editada por Universidad Pontificia Comillas se encuentra bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-SinObraDerivada 4.0 Internacional
 
    MIAR

Revista Iberoamericana de Bioética

Universidad Pontificia Comillas

Universidad de Comillas, 3-5 - 28049 Madrid